A prática de medir o ranking de uma lista de palavras-chave no Google já foi bastante criticada pelos especialistas em SEO.

A alegação principal é ser uma métrica muito simples, que serve muito mais por vaidade do que como mensuração de resultados em si. Há informações como volume de tráfego e principalmente conversões que são muito mais importantes.

Até não discordamos do valor de medir tráfego e conversões, algo que consideramos essencial, mas acreditamos que acompanhar o ranking esteja muito longe de não oferecer nenhum valor.

Nesse post vamos explicar um pouco melhor porque isso deve ser feito:

Suponha que sua empresa tenha recebido o convite para escrever um guest post. Quais palavras-chave deverão ser exploradas nos links ao longo do texto?

Uma palavra na qual sua empresa já ocupe a 11ª posição, prestes a entrar na primeira página, pode ter uma prioridade muito maior do que outra que esteja na 70º, longe de alcançar um bom ranking. Ou mesmo em relação a outra que esteja na 1ª, onde não é necessário continuar subindo.

É o tipo de decisão em que ter as informações de ranking pode ter impacto direto nas escolhas da empresa.

Em teoria, acompanhar o tráfego por palavra-chave seria o suficiente para verificar quais termos estão crescendo e contribuindo mais com a empresa e quais estão caindo. É uma das formas de medir quanto os investimentos em Link Building de fato têm se convertido em ganhos para a empresa.

No entanto, esse tipo de análise é incompleta e deixa algumas coisas importantes de lado, já que leva em conta só os termos que sua empresa já está bem posicionada.

Se sua empresa leva um termo da 80ª posição para a 11ª, por exemplo, dificilmente sentirá resultados concretos (a esmagadora maioria dos cliques fica na primeira página). No entanto, isso não quer dizer que o trabalho foi em vão ou que o investimento foi desperdiçado. Pelo contrário: se a empresa continuar nesse ritmo, provavelmente alcançará em breve as primeiras posições e poderá colher os resultados.

Outro problema considerável é que há algum tempo o Google deixou de fornecer a palavra-chave de origem de todos os usuários que estivesse logados com uma conta Google. E o número de usuários nessas condições cresce consideravelmente.

Em fevereiro de 2012, o percentual de visitas ao nosso blog cujo termo de pesquisa não era exibido pelo Google foi menor do que 4,5%.

Apenas 1 ano depois, o (not provided) já está esse mês em 55% dos nossos acessos via busca orgânica.

Nessas condições, fica muito mais difícil e pouco confiável medir a evolução de um termo se analisamos somente tráfego e conversões. O ranking surge como uma alternativa complementar.

Tudo bem, se você está nas primeiras posições para vários termo
Consultor SEO Portugal SEO ZUKA

Gostou do artigo? Ficou com dúvidas? Deixe seu comentário!